Back to top

Visualização da Avaliação de Perdas e Danos, Pernambuco, Brasil

Em junho de 2010, Pernambuco enfrentou a pior temporada de chuvas dos últimos anos. Entre os dias 17 e 18 de junho, uma Onda de Leste atingiu o estado e, em 24 horas, choveu 70% do volume esperado para todo o mês. A forte chuva nas cabeceiras dos ríos causou enxurradas violentas ao longo das margens dos rios Una e Jaboatão e a força das águas destruiu cidades inteiras como os municípios de Palmares e Barreiros. Sessenta e sete municípios foram afetados, dentre os quais 12 decretaram situação de calamidade pública e 30 entraram em situação de emergência. Apesar da magnitude do desastre, a rápida ação do estado minimizou os danos humanos e foram registradas 20 mortes como conseqüência do evento.

As perdas e danos estimados, no entanto, foram significativos: R$ 3.4 bilhões, concentrados principalmente no setor social. Apenas no setor habitacional, com mais de 16 mil casas populares destruídas, as perdas e danos foram estimados em R$ 2 bilhões, o que representa 62% do custo total do desastre. As áreas de educação e saúde sofreram perdas e danos de R$ 286.5 milhões e R$ 145.5 milhões, respectivamente.

No setor habitacional, além dos danos, as perdas também são elevadas em função das necessárias medidas de redução de vulnerabilidade, como a construção de barragens e mudança para local seguro. É importante destacar que embora a maior parte do impacto seja de propriedade privada, o estado assume uma parcela relevante dos custos de reconstrução das moradias populares e oferece auxílio-aluguel para as famílias atingidas. Com isso, em termos financeiros o impacto sobre o setor público tende a superar aquele sobre o setor privado.

Nos demais setores, as perdas e danos foram significativamente menores. No setor de infraestrutura, chegaram a R$ 428 milhões, valor que reflete principalmente os danos causados às rodovias e estradas vicinais da região. No setor de saneamento, é estimado um impacto de R$ 36 milhões, e na área de infraestrutura de energia não foram obtidas informações detalhadas, mas dados preliminares sugerem um impacto de, no mínimo, R$ 12 milhões. No setor de telecomunicações não foi possível acessar informações relevantes a respeito do impacto das inundações sobre os equipamentos e linhas de comunicação das empresas privadas.

File: